O pior e o melhor que há em nós

Foto retirada de algum episódio do desenho

O que se revela em meio ao caos? O que acontece quando o medo e o instinto de sobrevivência falam mais alto que de costume? São em situações assim que nosso caráter é testado e dois lados diametralmente opostos da humanidade costumam se revelar. 

Estamos vivendo uma pandemia, isso é fato, sistemas de saúde e de economia estão colapsando por todo o mundo e pessoas estão morrendo. E nesse momento em que tanto precisamos de solidariedade, vemos o ser humano mostrar sua face mais feia. Empresários valorizando mais o dinheiro que a vida das pessoas. Afinal, o que são 6 ou 7.000 mortes desde que a roda do capitalismo não pare de girar, certo? Chefes obrigando funcionários que poderiam trabalhar de casa a se deslocarem até o serviço sob ameaças de demissão e sem ao menos tomar medidas preventivas no ambiente de trabalho. Indivíduos criando e espalhando notícias falsas, disseminando o pânico e sugerindo "soluções" perigosas para aqueles que buscam desesperadamente se proteger contra o vírus que nos assola.

O egoísmo e o egocentrismo vêm à tona, sem se preocupar com os outros, pessoas estocam comida, álcool em gel e papel higiênico como se fosse o fim do mundo e só a segurança dos seus importasseme os outros não fossem dignos de empatia. Enquanto isso, outras pessoas mal ouviram falar dos estudos sobre o uso da cloroquina no tratamento do COVID19 e já correram para as farmácias para comprar o remédio. Ignorando completamente o fato de que os estudos não eram (e ainda não são) conclusivos e que, além das consequências que o uso incorreto desse remédio pode acarretar, ao comprar tal medicação, sem necessidade, elas impediram que quem realmente precisa da cloroquina tivesse acesso à ela.

E ainda há aqueles que se recusam a ficar em isolamento e que insistem em sair de casa, muitas vezes em grupos, não porque precisam, mas simplesmente porque querem. Sem contar com os relatos sobre pessoas deliberadamente espalhando a doença por aí.

Para quem é cristão, esse tipo de comportamento não é chocante. A Bíblia afirma que não há uma pessoa que seja justa, todos nós pecamos e carecemos da glória de Deus, de modo resumido, isso é o que chamamos de natureza caída. O ser humano já nasce corrompido como consequência da queda e só encontra redenção em Jesus. É quase o contrário do pensamento de Rousseau, o homem nasce mau e é Cristo que o redime. É por isso que até mesmo pessoas que podem ser consideradas boas são capazes de cometer atos que seriam classificados como maus.

Porém, nós fomos criados à imagem e semelhança de Deus, a queda pode ter nos corrompido, mas não alterou esse fato. E é por isso que não é necessário crer em Deus para se demonstrar bondade (porém bondade não traz redenção, só podemos ser salvos por meio de Cristo). Acredito que até mesmo o pior dos pecadores (pense em qualquer criminoso que tenha cometido um crime bem atroz) é capaz de praticar um ato considerado bom. (Isso me lembra aqueles vilões de animes que são extremamente cruéis, mas acabam encontrando alguém, geralmente uma criança, com quem só conseguem ser gentis). Tudo que há de bom em nós é reflexo dEle e, em meio ao caos atual, esse lado nosso também emerge e alguns escolhem entregar para a sociedade o que há de melhor em si.

Empresários, como Luísa - dona do Magazine Luísa, mostrando que vidas são mais importantes que dinheiro e usando seu capital para ajudar os outros ou o CEO do Giraffas, Alexandre pai, confrontando a postura de seu filho e pedindo que seus funcionários fiquem em casa sem medo de demissão. E temos também o Outback que, sabendo que teria como sobreviver à crise, preferiu manter a roda do capitalismo girando ajudando os pequenos empreendedores ao doar seus ovos de páscoa para que estes pudessem se reerguer financeiramente. Nessa thread aqui vocês conseguem ver muitas outras empresas e marcas promovendo boas ações. E não apenas empresários, mas vários artistas e pessoas ricas não parecem estar se preocupando com o dinheiro que podem deixar de ganhar durante esse período, mas estão usando o dinheiro que já possuem para investir em diversos projetos (desde auxílio a pesquisas contra o corona quanto auxílio a pessoas de baixa renda).

Artistas disponibilizando entretenimento através de livros gratuitos (editoras também contribuíram para isso) ou shows online.  Plataformas de streaming e tvs por assinatura liberando conteúdos que costumam ser pagos. Várias pessoas disponibilizando aulas onlines e instituições liberando cursos gratuitos. Tudo isso para que aqueles que precisam ficar em casa possam ter com o quê ocupar suas mentes e possam se distrair um pouco de suas preocupações. Ainda sobre conteúdos, há muitas pessoas criando e disponibilizando conteúdos e atividades para pais e mães fazerem com os filhos.

Muitas pessoas optando por ficar em casa não por ter medo de adoecer, mas por entender a importância do isolamento social e por não querer transmitir a doença aos outros. Jovens (e aqui eu estou me referindo a qualquer adulto que não seja idoso) se dispondo a sair de casa para fazer compras ou atender a outros pedidos de seus vizinhos que já são idosos. Pessoas se juntando em iniciativas para prover mantimentos, materiais de higiene, barracas, etc para os moradores de ruas enquanto outros fazem campanhas para auxiliar os animais de ruas. Falando em inciativas, há muitos projetos sendo criados por voluntários buscando meios de auxiliar no combate ao coronavírus, um deles é o projeto que a Thabata Ganga criou com o objetivo de imprimir equipamentos médicos em 3D, como respiradores, por exemplo. E ainda tem aqueles focados em desmascarar notícias falsas e espalhar informações verdadeiras.

São tantas as pessoas que estão se doando! Doando seu tempo, seu conhecimento, seu dinheiro, seu afeto!

E as igrejas? Ah! As igrejas estão fazendo o que sempre fazem, porém de modo mais intensificado. Correntes de oração de 24h pelo país, auxiliando seus membros (e não-membros também) que possuem uma renda mais baixa com mantimentos e até mesmo fornecendo ajuda financeira. Sem contar o apoio espiritual e emocional que é tão importante em momentos como esses. E ainda tem aqueles que estão se voluntariando onde podem.

Em meio ao caos atual eu tenho visto muita coisa ruim, atitudes que me embrulham o estômago, me entristecem e me enraivecem, mas também tenho visto muitas ações que me aquecem o coração. Empatia e amor sendo distribuídos de todas as formas.

Em meio a pandemia atual, nosso melhor e nosso pior lado se revelam. Não proponho que ignoremos o que estamos vendo de ruim, pelo contrário, devemos criticar e até mesmo denunciar quando for necessário. Se tal atitude é praticada por alguém próximo a nós devemos repreender em amor. Entretanto, proponho que valorizemos mais o que estamos vendo de bom. 

Temos que compreender que todos nós possuímos um lado bem ruim com o qual precisamos lidar, mas quando ele quiser vir à tona, peço que você escolha mostrar seu melhor lado. Não devemos fingir que nossos defeitos de caráter não existem, mas podemos e devemos trabalhá-los.

O ser humano é complexo e não pode ser definido apenas pelas diversas dicotomias que existem atualmente. Todos somos pecadores (alguns redimidos, outros não), fomos criados à imagem e semelhança de Deus, mas fomos corrompidos pela queda. Podemos praticar coisas boas e coisas ruins, por isso, eu peço uma última vez, em meio ao que vivemos atualmente, escolha mostrar o seu  melhor lado. E lembre-se que há uma Luz sempre brilhando mesmo em meio a pior escuridão.

Ah! E fiquem casa! ;)
***

Gostou desse post? Então compartilhe! ;)

Comentários

  1. Ótimo texto. É verdade que a pandemia só está levando a níveis extremos o que há de melhor e de pior em nós. Tenho me esforçado para combater as mentiras e levar informação, mas também para destacar as boas ações que algumas pessoas estão fazendo, tanto para levar esperança quanto para inspirar. Não sei se você viu, mas tô fazendo uma thread com essas iniciativas, tem bastante coisa legal: https://twitter.com/cintiamcr/status/1241737624236240896

    ResponderExcluir
  2. Sim! Eu vi tua thread, foi através das tuas postagens que fiquei sabendo da iniciativa do Outback, vou dar uma atualizada no texto e achou que vou deixar logo thread linkada! :D

    ResponderExcluir
  3. Muito massa a tua reflexão, Nessa! Não conhecia o teu blog. Deu até vontade de reativar o meu ^^ Essa pandemia está fazendo a gente repensar muitas coisas mesmo. Toda a nossa "corrida atrás do vento" entrou em cheque, as nossas máscaras de virtude caíram muitas vezes diante da convivência ou da necessidade. Com certeza você também está lembrando do Ensaio sobre a cegueira e de A Peste. Que tudo isso que estamos vivendo nos faça aperfeiçoar a nossa humanidade e lembrar do que realmente importa, né? Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Rê! Espero que tu tenha curtido os outros textos também. Sim, eu lembrei de O ensaio sobre a cegueira, mas agora não tô lembrando de A peste, quem uqe escreveu mesmo?

      Excluir

Postar um comentário