Desenho animado NÃO é sinônimo de infantil

O post não é censurado é só a imagem mesmo.


Algumas semanas atrás rolou uma polêmica na internet sobre a série animada Superdrags e parece que até a sociedade brasileira de pediatria emitiu um alerta contra o desenho. Há alguns meses algo parecido aconteceu com outra animação, surgiu uma corrente no what's app falando que os pais deveriam tomar cuidado com o filme Festa da salsicha porque ele possuía um forte conteúdo sexual e visava tirar a inocência das crianças. O que esses dois desenhos têm em comum além de terem se tornado polêmicos? Nenhum dos dois foi realmente produzido para o público infantil. Vivemos em uma cultura que associa desenho a conteúdo infantil automaticamente, entretanto essa não é mais, se é que um dia já foi, a nossa realidade.

A cada dia mais desenhos têm sido produzidos visando o público adulto. Crianças não costumam ir ao cinema sozinhas por isso muitas das animações atuais parecem ter sido produzidas com o intuito de agradar não apenas aos pequenos, mas também aos adultos que os acompanham. Por conta disso, não é tão difícil encontrar piadas de duplo sentido e discursos voltados para adultos em animações infantis (tipo Divertidamente que me passou a sensação de ser um filme que seria melhor aproveitado pelos adultos do que pelas crianças). Normalmente essas mensagens são colocadas de modo que as crianças não percebam, mas os adultos sim. Em inglês, filmes assim costumam ser classificados como PG - Parental Guidance Suggest o que significa que é aconselhado que os pais assistam junto com os filhos porque pode haver algum conteúdo não muito adequado para a idade da criança. Um filme que é classificado desse modo e que também foi alvo de polêmicas, por exemplo, é Os incríveis 2.

Uma amiga viu o filme e veio comentar comigo que não o considerava um desenho infantil por conta da cena hipnótica (quem assistiu sabe do que estou falando, inclusive, aparece um aviso no começo do filme alertando sobre cenas que podem fazer quem tem sensibilidade à luz passar mal) e da forte reflexão sobre o discurso midiático e manipulação. Eu fui assistir a Os incríveis 2 no cinema com meus primos e - apesar de concordar com a minha amiga de que a cena envolvendo hipnose pode incomodar crianças, especialmente as pequenas, e de que a discussão sobre o discurso midiático foi voltado para os adultos - não vi nada ali que pudesse ser considerado impróprio para crianças. Entretanto, a animação deixou alguns pais frustados a ponto de questionarem o diretor sobre a necessidade de colocar palavrões - hell e damned - em um filme infantil e ele respondeu que essa animação era classificada como PG e não era voltada para o público infantil. Quanto aos palavrões, não sei dizer se eu que não percebi ou se a dublagem brasileira os cortou.

Retomando o caso dos desenhos citados no primeiro parágrafo. Qualquer pai que pesquisasse a classificação indicativa deles (16 anos) ou se desse ao trabalho de ler a sinopse ou assistir ao trailer, principalmente no caso de Festa da salsicha, perceberia que, devido ao conteúdo, essas animações não foram produzidas para crianças. Logo, dizer que eles são impróprios para crianças é afirmar o óbvio e acusá-los de quererem perverter os pequenos é difamação já que, volto a afirmar, eles não foram feitos para o público infantil.

A verdade é que, apesar de, aparentemente, serem desconhecidos, desenhos produzidos para o público adulto não são realmente uma novidade. Por exemplo, Uma história de amor e fúria, uma animação brasileira que concorreu ao Oscar em 2014, pode até ser um bom filme para se passar em uma aula de história para alunos do Ensino Médio, mas com toda certeza não é indicado para crianças. Em 2001, estreou no Cartoon Network, um bloco televiso chamado Adult Swim no qual passavam desenhos animados especificamente voltados para o público adulto. É importante frisar que esses desenhos passavam tarde da noite já que a programação do CN realmente é voltada para crianças e adolescentes. Em 1999, foi a vez de Happy Tree Friends estrear, um desenho com os personagens mais fofos e mais sanguinários que eu já vi, e bem antes disso, em 1992, estreou South Park, aquele desenho cheio de palavrões que passava na MTV.

Isso tudo sem falar dos animes, desenhos japoneses que costumavam ser polêmicos quando eu era criança (talvez ainda sejam) por, muitas vezes, serem violentos e apresentarem conteúdos com conotação sexual. Só que esses desenhos vêm de uma cultura na qual animação não é considerado exclusivamente infantil, mas quando chegavam ao Brasil isso nem sempre era levado em consideração e eles passavam em horário livre, com classificação indicativa livre e em programas infantis. Resultado: crianças assistindo coisas impróprias e todos os animes sendo taxados de "desenhos do demo" cujo intuito é perverter as crianças. (Só para deixar claro, existem animes infantis tanto quanto existem animes adultos).

A maioria dos desenhos que eu citei aqui realmente não deveria ser assistida por crianças e eu acho super válido alertar os pais sobre isso, mas sem acusar as animações de fazerem algo que elas não pretendem fazer. Um exemplo disso foi a campanha realizada em torno do filme Deadpool (sim, eu sei que é um live-action e não uma animação, mas o exemplo continua sendo válido) na qual usaram o próprio personagem para ratificar que, apesar de ser um filme de super-herói, esse filme não era adequado para crianças, a classificação indicativa era de 16 anos (no Brasil) e os pais não deveriam levar as crianças ao cinema para assistir.

Ninguém é obrigado a gostar desses desenhos ou concordar com seu conteúdo (alguns eu vi e gostei, outros eu achei chato e até detestei e outros eu não vi e nem pretendo ver), mas isso também não dá o direito de difamá-los. O ideal seria que, na medida do possível, os pais acompanhassem o que os filhos assistem porque realmente há desenhos infantis que ensinam coisas erradas e deseducam as crianças ensinado-as a serem desobedientes, vingativas e consumistas, por exemplo. Esses desenhos sim devem ser criticados por apresentarem conteúdo impróprio para crianças sendo que foram produzidos para o público infantil. Além do mais, os pais também devem considerar que nem todo desenho infantil é apropriada para toda idade. Um desenho feito para crianças de 10 anos pode não ser muito adequado para uma criança de 2, por exemplo. Esse textão todo foi só para dizer que existem desenhos animados adultos e eles não devem ser julgados como se fossem infantis. Agora se você também quiser uma lista de animações que não apenas divertem como também educam fique atento ao próximo post que sairá em um sábado.

O que você acha sobre esse assunto? Você gosta de assistir a desenhos animados (infantis e/ou adultos)? Você já sabia que animação não é sinônimo de infantil? Você acha isso legal porque atende aos mais variados públicos ou acha que isso é um absurdo e que desenhos animados deveriam ser feitos só para crianças porque possuem um forte apelo infantil? Que tal enviar esse post para aquele amigo que também curte animações ou para aquele outro amigo que acha que desenho é coisa de criança?

Ps. Esse blog definitivamente não é infantil (apesar de sua autora amar conteúdos infantis), mesmo assim eu achei melhor não linkar os trailers dos desenhos citados, mas se você se interessou por algum desses é só procurar no youtube.

***

Gostou? Então compartilhe! ;)


Comentários